ILP E FAPESP PROMOVEM MAIS UM EVENTO DO CICLO DE CIÊNCIA E INOVAÇÃO

19/05/2022 00:26 | A abordagem deste encontro foi voltada para a discussão científica acerca de novos fármacos no tratamento da COVID-19 | Georgia Vadalá

Compartilhar:

.<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/L-05-2022/fg286980.png' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Segundo Ana Carolina Leister, em seu verbete sobre Estado de Bem-Estar, presente no dicionário de conceitos políticos do ILP, "o conceito de estado de bem-estar caracteriza um modelo de estado que incorpora direitos de segunda geração, os designados direitos sociais, incluindo, principalmente, aqueles relativos à seguridade social, saúde, previdência e assistência social, mas também outros direitos como educação e moradia, entre outros, e que somente podem ser conferidos à população por meio de prestações positivas promovidas pelo estado através de políticas públicas".

O Estado de Bem-Estar, por ser um conceito político, como demonstrado acima, não promove de fato o bem-estar físico, mas sim um contexto em que haja melhorias e avanços sociais por meio do desenvolvimento de trabalhos para estes fins. A FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) é instituição pública de fomento à pesquisa acadêmica ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do governo do estado de São Paulo e, em parceira com o ILP (instituto Legislativo Paulista), oferece o ciclo de palestras sobre ciência e inovação, tendo como objetivo o apontamento de incrementos sobre temas variados que impactam diretamente o dia-a-dia da coletividade.

No último encontro, em 25 de abril, a temática abordada disse respeito aos fármacos promissores contra a Covid-19. Apresentado pela analista legislativa Paula Schneider e por Horácio Forjaz, gerente de relações institucionais da Fapesp, o evento contou com uma equipe de alto gabarito. O primeiro palestrante foi Rafael Guido, professor do Instituto de Física de São Carlos (USP), que faz parte de um projeto de pesquisa para descobertas de novos fármacos para uma série de doenças além da COVID-19. Guido apresentou dados sobre a doença e seu potencial de contaminação e morte, além de demonstrar também aspectos biológicos relacionados à estrutura do vírus SARS-CoV-2. Em seguida, foi passada a palavra a Cristiane Guzzo, professora do Instituto de Ciências Biomédicas (USP), que abordou a utilização da inteligência artificial e bioquímica de proteínas para o encontro de fármacos a serem utilizados no tratamento para a COVID-19.

Quem também esteve presente foi Fernando Cunha, professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP), que demonstrou a ação do vírus no corpo humano a partir do momento da infecção até, em alguns casos, os motivos que levam o paciente ao óbito em função da doença. Em fechamento a este evento do ciclo, Carlos Alberto Montanari, professor do Instituto de Química de São Carlos (USP), apresentou a importância da vacina no impacto positivo sobre mortes por corona vírus, mas frisou que fármacos são fundamentais até mesmo para estarmos preparados para futuros vírus que descenderão deste.

O bloco final foi destinado às interações com o público presente virtualmente, que pôde enviar perguntas e opiniões.



O endereço para acessar o evento na íntegra, no canal do ILP no Youtube, é: https://www.youtube.com/watch?v=kLvPtScVURk&t=3s



O Dicionário de Conceitos Políticos do ILP pode ser acessado no endereço: https://www.al.sp.gov.br/repositorio/bibliotecaDigital/24369_arquivo.pdf