A ONU E SUA RELAÇÃO COM O BRASIL É O TEMA DA PALESTRA APRESENTADA NO INSTITUTO DO LEGISLATIVO PAULISTA

Os conferencistas frisaram a importância das relações diplomáticas, iniciadas e mantidas ao longo da história, para a criação da Organização das Nações Unidas 29/03/2021 17:00 | on-line | Rafael

Compartilhar:

Prof. Thiago fazendo excelente apresentação<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/L-03-2021/fg263779.png' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Prof. Alex Peloggia<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/L-03-2021/fg263780.png' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Apresentação do Prof. Thiago<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/L-03-2021/fg263781.png' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Em tempos que se sucedem à celebração do 75º aniversário da ONU, o ILP convidou, na quarta-feira, dia 25 de março, os palestrantes Thiago Dias, advogado e professor, e o especialista em Relações Internacionais Alex Peloggia para discutir a história da Organização das Nações Unidas e de suas relações com o Brasil. O professor Dias, após a contextualização inicial, retomou as primeiras conferências de paz ocorridas no século XIX, nas quais a discussão sobre o equilíbrio de poder era tema central, e detalhou a trajetória destas, perpassando pela adesão do Brasil como integrante da Liga das Nações até a formação do que hoje conhecemos por ONU, em 1945, após o fim da Segunda Guerra Mundial, com o intuito de manutenção da paz e dos direitos humanos.

Thiago Dias recorreu a conceitos importantes da Ciência Política para sustentar sua argumentação, como o de realismo político, abordagem de tradição maquiaveliana, que enfoca o papel do poder nas relações internacionais. No contexto pré-ONU, a presença de Ruy Barbosa como orador na conferência de Haia de 1907 também foi destacada, dentre outros eventos, como um fator importante para o alavancar o Brasil como importante ator no cenário internacional no século XX.

O professor Dias discorreu ainda sobre as particularidades da integração do Brasil à ONU e ao cenário internacional, como a polêmica sobre a questão da relação entre desenvolvimento e meio ambiente na Conferência de Estocolmo de 1972.

Na sequência, o debatedor Alex Peloggia partiu da seguinte provocação: teria a ONU cumprido o seu papel básico? Considerando serem as Nações Unidas uma resposta para a complexa e contraditória situação de um sistema político internacional anárquico, formado por estados-nação soberanos (ver, sobre este tema, o verbete Estado-Nação do Dicionário de Conceitos Políticos do ILP) conjugado a um sistema econômico inerentemente expansivo e competitivo.

O Dr. Peloggia, também psicanalista, trouxe os estudos de Freud sobre a canalização dos impulsos agressivos e seu conceito de "mal-estar civilizatório" para o debate, bem como registrou interpretações alternativas em relação ao conceito de realismo político. O debate foi finalizado com uma série de perguntas e contribuições feitas por alunos e outros participantes da palestra.

A analista legislativa do ILP, Paula Schneider, acompanhou e mediou o evento, que pode ser assistido na integra por meio do link https://www.youtube.com/watch?v=JOvVOxMYqP4.

O Dicionário de Conceitos Políticos pode ser acessado no endereço https://www.al.sp.gov.br/repositorio/bibliotecaDigital/24369_arquivo.pdf.