Situação dos idosos na pandemia é tema de debate

As matérias da seção Atividade Parlamentar são de inteira responsabilidade dos parlamentares e de suas assessorias de imprensa. São devidamente assinadas e não refletem, necessariamente, a opinião institucional da Assembleia Legislativa de São Paulo.
18/06/2020 12:19 | Atividade Parlamentar | Da assessoria da deputada Edna Macedo

Compartilhar:

Edna Macedo e Cláudia Vieira Carnevalle<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2020/fg250018.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

A deputada Edna Macedo (Republicanos) realizou uma live em sua rede social na última segunda-feira (15/6) para debater a situação dos idosos durante a pandemia. Um dos objetivos foi justamente destacar o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. A deputada recebeu como convidada a psicóloga e assessora de planejamento em Saúde do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, Cláudia Vieira Carnevalle.

Os principais temas abordados foram o aumento da violência, o preconceito e o abandono, os cuidados e atividades a serem realizados junto aos idosos, e como viver o novo normal para os idosos após a pandemia. A deputada também aproveitou a live para compartilhar sua experiência, como idosa, em meio ao isolamento social.

"Mesmo refutando o Estatuto do Idoso brasileiro como um marco no tratamento à terceira idade, lamento que nós, idosos, ainda sejamos muito contrariados quanto aos nossos direitos. Precisamos do cumprimento das leis existentes, de programas de conscientização dos idosos a respeito de seus direitos, bem como da educação dos mais jovens, no que tange ao respeito e consideração com os mais velhos" " ressaltou Edna Macedo.

"Precisamos falar sobre a terceira idade. O idoso hoje é considerado um estorvo descartável e enquanto não mudarmos essa cultura de destruição dos valores morais, continuaremos com a amoralidade reinante" " concluiu a deputada.