Deputados querem conter roubos cometidos por falsos entregadores em São Paulo

As matérias da seção Atividade Parlamentar são de inteira responsabilidade dos parlamentares e de suas assessorias de imprensa. São devidamente assinadas e não refletem, necessariamente, a opinião institucional da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.
19/04/2022 16:01 | Atividade Parlamentar | Da assessoria do deputado Altair Moraes

Compartilhar:

Altair Moraes <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-04-2022/fg285539.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Os deputados estaduais Altair Moraes, do Republicanos, e Delegado Olim, do PP, apresentaram na Alesp - Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o projeto de lei 145/2022 que estabelece que as empresas prestadoras de serviço de entrega de qualquer natureza e as que fazem intermediação do serviço, deverão criar um cadastro de identificação de entregadores.

De acordo com a proposta, essas informações deverão constar no aplicativo da empresa responsável pela entrega, para que qualquer pessoa possa pesquisar os dados do entregador, que deverá manter visível o seu crachá de identificação com QR Code próprio. Os entregadores deverão também, no momento da entrega dos pedidos, retirar seus capacetes ou outros equipamentos que dificultem o seu reconhecimento.

No cadastro de identificação de entregadores deverá constar: nome completo; documento de identidade; endereço; telefone; e-mail; foto; número da carteira nacional de habilitação; e os dados completos da moto ou carro que utiliza. As empresas também deverão incluir no cadastro os dados das bicicletas, como modelo e cor, que são utilizadas pelos prestadores do serviço.

O texto não deixa de fora, do cadastro de entregadores, os dados dos veículos alugados ou cedidos em comodato, e de patinetes e bicicletas que são eventualmente utilizados para o serviço de entrega.

"Diariamente acompanhamos terríveis notícias de criminosos que estão se passando por entregadores de aplicativos para cometer crimes. Na maioria das vezes eles agem em dupla e estão armados. Os bandidos são violentos, têm deixado uma série de vítimas e a população aterrorizada com a falta de providência do Poder Público", disse o deputado Altair Moraes.

Segundo o deputado Olim, "o cadastro com identificação do entregador e de seu veículo e a regulamentação das práticas de ação no momento da entrega são importantes instrumentos de proteção, tanto para o consumidor quanto para o entregador".

Os deputados Altair Moraes e Delegado Olim na justificativa da proposta informam que "esse tipo de atividade é imprescindível nos dias de hoje e será beneficiada com a aplicação dessas regras que são de simples implantação e de grande impacto na redução dos crimes praticados por aproveitadores, que se disfarçam de entregadores para roubar suas vítimas".